these boots are made for walking

Já se perguntou como é ser uma mulher com Autismo? A sensação de ser uma circunferência num mundo de quadrados pode ser uma boa forma de responder.

Experimente por começar a pensar que vai passar a sua vida inteira a tentar encaixar-se! Demore alguns minutos nesse exercício. Como é que se sente agora? Se a sua frase começar por "Agora eu consigo compreender..." então é porque deve ter estado perto daquilo que inúmeras raparigas e mulheres sentem todos os dias. Leu correctamente - todos os dias.


Se ainda tem algumas dúvidas em relação à questão procure pensar no seguinte. Imagine ser alguém que procurou trabalhar uma vida inteira para ser outra pessoa que realmente não sabe quem é. Confuso?


As pessoas Autistas são diferentes. Tal como eu serei diferente de você que está a ler este texto. A questão no Autismo e mais especificamente nas mulheres, estas passam demasiado tempo sem conseguir perceber isso de uma forma mais clara. Ou seja, durante anos não lhes é diagnosticado uma Perturbação do Espectro do Autismo. Como tal o processo de compreensão de si próprias e inclusive de aceitação e auto-determinação demora e tem um impacto devastador a nível da saúde mental.


No entanto não deixa de ser interesse ouvir as mulheres Autistas referirem inúmeras vezes mesmo antes de serem diagnosticadas - "Eu sabia que alguma coisa de diferente em mim!". Muitas vezes acontece que as pessoas sentem maior dificuldade em aceitar isso. Essa maneira diferente de ser, de pensar, sentir, mesmo que os sentimentos sejam basicamente os mesmo.


É muito comum verificarmos que as pessoas Autistas têm problema em manter e/ou procurar empregos. E amigos. A sensação que se tem é que durante alguns anos, principalmente os iniciais se sentia conseguir relacionar melhor com as pessoas. Quando se é mais novo as crianças estão constantemente a fazer a mesma coisa. E isto vai continuando assim durante alguns anos. À medida que as relações e as aprendizagens se tornam mais complexas a sensação é de que se parece esta Km's atrás das outras pessoas e pensar - "Eu realmente não sei mais o que dizer às pessoas!".

Mas o certo é que as pessoas Autistas querem relacionar-se. E relacionam-se na realidade. Esse é o primeiro equívoco que as pessoas têm sobre os Autistas - que são robots.


Uma outra questão é que uma pessoa Neurotipica saberia imediatamente o que se passaria com outra pessoa. As pessoas Autistas passam uma vida inteira a estudar as interacções sociais. Como se tratasse de uma ciência. Muitas encontram dificuldade em sustentar as coisas porque sentem que é preciso muita energia para os comportamentos acontecerem de uma forma normal. Quanto mais sobrecarregadas estiverem, mais óbvio se torna. Ainda assim as pessoas mais funcionais no Espectro do Autismo, o facto de conseguir ir a um jantar ou até mesmo a uma festa é sentido como devastador e cansativo. A sensação é de que se necessita de aprender as coisas intelectualmente enquanto as outras aprendem na sua maioria de maneira intuitiva.


Uma outra questão importante a notar: nem sempre se sabe o que se está a sentir. É algo comum no Espectro do Autismo. É chamado de Alexitimia. A sensação é de que algumas vezes o tom de voz em algo que se está a querer dizer sai errado. O humor é uma outra questão difícil de acertar. Ou se é demasiado acutilante ou as pessoas não conseguem perceber o alcance da piada.


O Autismo no feminino não tem de ser o decalque dos critérios de diagnóstico da DSM-5. Diria que nem no caso de alguns casos de Autismo no masculino. É importante ter em conta o enquadramento da classificação e dos critérios de diagnóstico mas sem dúvida que é fundamental optar por uma perspectiva compreensiva. Em caso de dúvida pergunte. No caso de ser uma mulher que duvida que possa ser Autista peça ajuda.

21 visualizações

Informação útil:

©2018 by Autismo no Adulto. Proudly created with Wix.com