Quanto mede o seu autismo?

Desde há muito que a humanidade tem por hábito medir as coisas. Sejam distâncias, pesos mas também os comportamentos. Este último tem sido principalmente da responsabilidade da Psicologia. Há alguns anos atrás passou a ser importante a existência de instrumentos de avaliação preenchidos pelos próprios (auto-relato) para facilitar a detecção de situações que pudessem merecer uma atenção maior caso um determinado resultado fosse obtido. Hoje em dia é comum vermos na internet uma proliferação de testes, na maioria adulterados face aos originais e que prometem um diagnóstico rápido em apenas 3 minutos. Na Perturbação do Espectro do Autismo (PEA) esta situação ocorre com igual frequência. Mas é preciso conhecer os riscos e os benefícios associados.

Atendendo a que muitos adultos hoje em dia ainda continuam a não ser diagnosticados com Perturbação do Espectro do Autismo (PEA), pensou-se ser importante desenvolver instrumentos mais rápidos e de fácil acessos para o rastreio de situações que possam merecer uma atenção mais detalhada. Ou seja, uma determinada pessoa pode pensar que apresenta um conjunto de comportamentos mais preocupantes e que os mesmos possam ter a ver com o espectro do autismo. O facto de a mesma poder preencher um instrumento de auto-relato em breves minutos, por exemplo o Questionário do Quociente do Espectro Autista (QA), desenvolvido por Baron-Cohen e colaboradores, pode facilitar a procura de uma ajuda especializada. Isto porque o resultado obtido nesse mesmo questionário valida a suspeita da pessoa de que poderá ter uma Perturbação do Espectro do Autismo. É importante referir sempre que estes questionários não servem o propósito de fazer um diagnóstico e nem devem ser usados enquanto tal. Mas servem para ajudar a pessoa a tomar uma outra consciência acerca da sua possível problemática e poder solicitar mais rapidamente uma ajuda especializada.


Este questionário, na sua versão mais longa (50 questões) encontra-se no site www.autismonoadulto.com, mais precisamente aqui - https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdk4B8kHQPlS6hZlxW9KZs-os_SdYpMn3q5wvyIlbezgpEVNw/viewform

Para preencher o questionário basta clicar no link, preencher todas as respostas e contactar através do endereço electrónico - pedro.rodrigues@pin.com.pt para poder obter o resultado obtido e ser-lhe respondido alguma outra questão que tenha dúvida.


Existem mais 2 ou 3 outros questionários semelhantes ao referido anteriormente. No entanto, o Questionário do Quociente do Espectro Autista (QA), parece apresentar uma maior validade na detecção de situações que posteriormente são diagnosticadas com Perturbação do Espectro do Autismo a partir de uma avaliação mais detalhada. Este mesmo questionário tem uma versão original com 50 questões e posteriormente foi desenvolvida uma outra apenas com 10 questões.


Na introdução referi que é importante conhecer os riscos e os benefícios associados. Ou seja, uma pessoa sem conhecimento especifico em relação a este instrumento pode preenche-lo mas sem saber interpretar o resultado do mesmo, ou então ir procurar informação num local que providencia uma informação inadequada. Para além disso a pessoa poderá estar a preencher um instrumento semelhante a este mas com algumas alterações, sendo que esta situação inválida por completo o propósito para o qual o instrumento foi desenvolvido. Mas a pessoa depois de preencher o instrumento e obter a orientação correcta e que o seu resultado obtido aponta para a necessidade de efectuar uma avaliação mais detalhada para determinar com certeza o diagnóstico e inclusive poder falar acerca da importância da intervenção pode levar a pessoa a não procurar ajuda. Em parte porque a pessoa podia ter apenas a curiosidade em saber se a sua suspeita se confirmava ou não. Até porque o impacto sentido por si na sua vida pode não ser assim tão significativo. Mas também porque sente uma maior ansiedade e receio em procurar uma ajuda especializada, não tem recursos económicos, ou não sabem a onde se deve dirigir. Ou seja, este processo deve ser ajudado por alguém da área da Psicologia e que tenha conhecimento acerca do instrumento e da própria condição do neurodesenvolvimento.


O instrumento tem sido testado por diferentes equipas de investigação, em diferentes países e com diferentes amostras populacionais de participantes. Têm sido usados os instrumentos normalmente usados num diagnóstico formal mais detalhado (ADI-R e ADOS-2) para validar os resultados do questionário. Os resultados encontrados têm sido sistematicamente positivos em validar a sua utilização. Quando o resultado obtido no questionário é igual ou superior a um determinado valor obtido nas respostas fornecidas a probabilidade de vir a ser confirmado o diagnóstico de Perturbação do Espectro do Autismo é grande. Desta forma, as pessoas adultas que suspeitam ter uma condição destas podem rapidamente preencher o questionário solicitando a ajuda necessária para o seu encaminhamento.

21 visualizações

Informação útil:

©2018 by Autismo no Adulto. Proudly created with Wix.com