E quando o teu pior pesadelo se torna realidade!?

Para as pessoas com uma Perturbação de Ansiedade e uma Perturbação Obsessivo-Compulsiva, as últimas semanas vieram comprovar o pior dos seus pesadelos. As constantes recomendações para lavar as mãos ao longo dos dias, o evitamento do contacto fisico, a limpeza e desinfecção dos objectos usados por terceiros, como por exemplo os manípulos das portas. Para além disso, a informação constante na televisão ou nas redes sociais sobre o número crescente de casos, mortes, noticias falsas e desinformação, falta de haveres nos supermercados, etc. Todas estas situações capazes de aumentar os níveis de ansiedade em qualquer um de nós, sejamos crianças, jovens ou adultos. Nas pessoas com uma Perturbação de Ansiedade ou uma Perturbação Obsessivo-Compulsiva leva a um aumento para níveis muito difíceis de comportar. Além de vir reforçar todo um conjunto de crenças mais disfuncionais acerca dos perigos de contágios e outros.

Nas pessoas que apresentam algumas fragilidades devido ao facto de terem uma Perturbação psiquiátrica, seja uma Perturbação de Ansiedade ou uma Perturbação Obsessivo-Compulsiva, mas também de uma Perturbação do Espectro do Autismo. Estas últimas semanas têm levado a um aumento das queixas. Nomeadamente, em alguns que já estavam num momento mais controlado das suas dificuldades. Alguns dos psicólogos e outros profissionais de saúde que acompanham pessoas com estas e outras condições neuropsiquiátricas têm recebido um aumento dos pedidos de intervenção e ou de situações SOS.


"- Lava as mãos.", "- Não toques na cara!", "- Lavaste as mãos?", "- Não te esqueças de não tocar nos manípulos das portas!", "- Talvez seja melhor não ires de transportes públicos!", "- A escola do teu filho ainda não fechou?", "-A minha empresa deixa-me trabalhar em casa, e a tua?". Estas e outras frases têm feito parte do nosso quotidiano nas últimas semanas. E com a questão adicional do risco envolvido, nomeadamente para os grupos de risco, pessoas idosas e pessoas com problemas respiratórios e outros. Não queremos ficar contagiados e não queremos contagiar os outros. Os constrangimentos e as situações que desencadeiam ansiedade têm sido muitas. E em muitas destas situações temos de lidar com a inevitabilidade, o não conseguirmos controlar tudo, o inesperado e a incerteza. Todo um conjunto de ingredientes que na maior parte de nós causa alguma angustia. E que no caso das pessoas com Perturbações psiquiátricas leva a que o sofrimento psicológico sentido seja ainda maior.


Nas últimas semanas, Andreia (nome fictício), à medida que o Coronavírus percorria o mundo, passou a ficar preocupada com a preocupação. "Estarei a lavar as minhas mãos o suficiente?", "Estou a tocar o meu rosto? O que acabei de tocar no metro? E se eu for infectada e não o perceber e, sem saber, transmitir o vírus a familiares mais velhos ou imunodeprimidos? Talvez eu devesse começar a usar uma máscara cirúrgica quando visito meus pais. Talvez eu deva parar de visitar os meus pais. Talvez eu deva parar de sair de casa.". Os pensamentos de Andreia não pararam e pareciam ter cada vez mais força.


Como alguém que vive com POC, Andreia está acostumada a ter os seus pensamentos ansiosos - e, graças ao trabalho que tem feito na terapia, geralmente sente-se cada vez melhor em sinalizar pensamentos como ansiedade e POC, em vez de uma preocupação legítima. Mas como o surto de coronavírus colocou o mundo em alerta máximo, muitos dos pensamentos que normalmente descartaria como produto de sua ansiedade começaram a parecer uma preocupação racional, e Andreia sente que passou ser mais difícil recuar.


Embora muitas pessoas associem a POC à limpeza obsessiva - um hábito que pode parecer útil no meio de um surto - a realidade é muito mais complicada. Para muitas pessoas, a POC pensamentos intrusivos sobre danos causados a si ou aos entes queridos ou outros. O stress de um surto pode exacerbar esses medos, levando a um aumento resultante no comportamento compulsivo, como rituais demorados que atrapalham a vida de uma pessoa ou um auto-isolamento extremo.


Não são apenas pessoas que vivem com POC. Para quem tem Perturbação de Ansiedade Generalizada ou outras Perturbações psiquiátricas que tendem a se preocupar excessivamente e com comportamentos irracionais, os surtos podem ser um momento particularmente perigoso. Enquanto trabalhamos para nos proteger de agentes patogénicos, é fácil ficar em pânico - e esse pânico pode ameaçar o controle ténue que mantemos sobre nossa saúde mental.


Então, como que alguém nesta condição pode evitar a infecção sem sair do controle?


Para iniciantes, evite a tentação de aprender tudo o que puder sobre o Covid-19. Embora mais informações possam parecer a melhor defesa contra doenças, é muito mais provável que você aumente seu pânico - especialmente se você estiver a obter essas informações de um lugar como o Twitter, onde os post são rápidos e frequentemente não verificadas. Nas redes sociais, "as informações estão a chegar cada vez mais rapidamente, mais densas e sem verificação, o que é muito fácil de ficar sobrecarregada.", refere Andreia.


Segundo, defina um regime básico de segurança - e evite a tentação de adicionar algo a ele. Como você provavelmente já ouviu, a lavagem regular das mãos é um dos componentes mais essenciais da prevenção do coronavírus, mas lavar as mãos repetidamente, por muito mais de 20 segundos de cada vez, é sinal de que você estará a sair do território de prevenção de doenças e a entrar em território de compulsão. Se você está a lavar as suas mãos tanto que elas estão gretadas ou irritadas, você está a lavar as suas mãos em demasia.

12 visualizações

Informação útil:

©2018 by Autismo no Adulto. Proudly created with Wix.com