top of page

#Dadication

Há muito que oiço dizer que os pais quando sabem que o seu filho é autista abandonam a família, diz Rui (nome fictício), pai do Joaquim (nome fictício) e do Rafael (nome fictício). Este último diagnosticado com Perturbação do Espectro do Autismo aos cinco anos. Assim como o Rui que foi diagnosticado recentemente a quando da avaliação do seu filho. Da mesma maneira que as pessoas pensam que os pais, inclusive os que não são autistas, não se costumam envolver nas dinâmicas familiares, acrescenta Manuel (nome fictício), pai da Carolina (nome fictício) diagnosticada com Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção e do Carlos (nome fictício) diagnosticado com Perturbação do Espectro do Autismo e Perturbação Obsessiva e Compulsiva. O próprio Manuel, assim como o Rui, também é autista. Mas no caso do Manuel, este já foi diagnosticado no inicio da adolescência. Se nós fossemos acreditar em tudo o que está escrito ou no que não é escrito também pensariamos que o autismo apenas existia nos rapazes, certo? pergunta Alfredo (nome fictício), pai da Carolina (nome fictício). O Alfredo foi diagnosticado com autismo na entrada da universidade. Sim, sempre foi muito difícil para mim certas tarefas enquanto pai, diz Rogério (nome fictício), pai do Raúl (nome fictício), Rafael (nome fictício) e da Rute (nome fictício). Todos eles são autistas. Se as pessoas soubessem a dificuldade que eu tenho com as minhas hipersensibilidades! continua. Dar-lhes comida era uma tarefa horrivel para mim. Sofria imenso em tocar nas papas deles. E o cheiro das fraldas ainda pior. Vomitava sempre que tinha de mudar a fralda. E ninguém compreendeu. A sorte é que eles nasceram uns a seguir aos outros e largaram as fraldas bem cedo, conclui. As pessoas sempre disseram que eu não tinha jeito par lidar com o meu filho por ser homem, diz Cláudio (nome fictício) pai da Carmen (nome fictício). Cláudio foi diagnosticado o ano passado e estão a avaliar a sua filha para perceber melhor as suas características. Não querem saber. Simplesmente não querem saber. Interpretam logo as coisas e começam a dizer o que pensam. E depois eu é é que tenho falta de filtro social, comenta. Isso e não quererem saber se a pessoa tem uma perturbação de ansiedade, diz José (nome fictício), pai do Júlio (nome fictício). O filho e o pai tem um diagnóstico de Perturbação do Espectro do Autismo. E o José tem também uma Perturbação de Ansiedade. Apenas começaram a dizer que eu não queria saber do meu filho. Ninguém quis saber dos meus desafios. Chegaram-me a dizer no tribunal que se eu não aguentava não devia ter filhos, conclui.


São muitas as historias de pais com filhos autistas. Assim como as historias de pais autistas com filhos autistas. Ou pais autistas com filhos não autistas. São pais. E precisam de ser escutados sem julgamentos ou pré conceitos. E se à partida estiverem mais à defesa ou até mesmo ao ataque continue a escutá-los.


45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page