Porque não te calas?

Quantas vezes não acordou com dor de cabeça e a desejar que o Mundo simplesmente se calasse? Pois bem, agora imagine acordar assim todos os dias da sua vida!


Podemos confessar que não gostar do barulho do aspirador logo pela manhã. Ou os vizinhos do lado decidirem fazer obras ao fim de semana e começarem a fazer furos na parede com um berbequim não são música para os nossos ouvidos. Ninguém gosta, certo?


A maior sensibilidade (hipersensibilidade) auditiva é uma característica presente nas Perturbações do Espectro do Autismo (PEA) e que origina inúmeras desregulações emocionais. Chegam a falar de uma prevalência entre 60% a 90%. Sendo que os factores que estão na sua base ainda são maioritariamente desconhecidos.


Esta hipersensibilidade tal com a própria PEA acompanha a pessoa ao longo do ciclo (i.e., desde criança até ao adulto) de vida e o impacto pode tornar-se devastador. Nos últimos anos a vida na sociedade tornou-se cada vez sujeita a uma estimulação constante (visual mas também auditiva). Mas no caso das pessoas autistas a dificuldade é superior atendendo ao espectro alargado de sons que incomodam de uma forma impensável para a maioria de nós. Desde o som de um instrumento musical ao choro de uma criança. Uma determinada tonalidade de voz de um dos seus professores ou o próprio ruído de fundo de um centro comercial. A miriade de estímulos auditivos causadores de mal estar é quase infinito.


Tal como em muitas situações nas PEA, a compreensão, tolerância, respeito pela diversidade e por conseguinte a adequação dos espaços e a mudança comportamental de todos nós envolvidos pode fazer toda a diferença. Não que a hispersensibilidade deixe de existir - não será esse o caso. Mas a utilização de estratégias próprias e adequadas para reduzir o ruído como por exemplo a utilização de auscultadores em contextos onde o próprio se sinta incomodado.


Da próxima vez que alguém se queixar do ruído ainda que lhe pareça irrisório. Ou que alguém abandone repentinamente o recinto. Se recuse a combinar algo em determinado lugar, etc. Seja compreensível e "não faça ruído".

0 visualização

Informação útil:

©2018 by Autismo no Adulto. Proudly created with Wix.com