Não perguntes o que o teu país pode fazer por ti, ...!

A frase já conhecida de John Fitzgerald Kennedy há muito que orienta as minhas acções. Desde o inicio da minha prática no Espectro do Autismo que senti ter mais perguntas que respostas, e mais dúvidas do que certezas. E também me tenho deparado ao longo do tempo com as mesmas perguntas, facto que me incomoda. Principalmente quando penso saber parte da resposta. Por exemplo, Por que é que continua a haver pessoas que apenas são diagnosticadas com Perturbação do Espectro do Autismo em adultos? ou Por que é que as mulheres continuam a ser ainda mais tardiamente diagnosticadas do que os homens no Espectro do Autismo? E uma parte da resposta tem a ver com a necessidade de uma melhor formação aos profissionais de saúde. No caso dos Médicos de Clinica Geral e Familiar, enquanto responsáveis pelo assegurar dos cuidados de saúde primário, são os que continuam com maior prevalência a ter contacto com os cidadãos e com mais facilidade poderão fazer uma referenciação adequada para os serviços de saúde mental. Os psicólogos clínicos, porque continuam a ser um profissional de 1ª linha na intervenção com as pessoas autistas e necessitam de estar igualmente capazes de fornecer uma resposta de intervenção adequada a todos os que necessitam de ajuda psicológica. Mais novidades para Setembro. Até lá pode sempre continuar a contribuir para um bem maior. Pergunte, Comente & Partilhe!


15 visualizações

Informação útil:

©2018 by Autismo no Adulto. Proudly created with Wix.com