top of page

Está na hora de ir dormir criançada

Até ter sido pai não conhecia o conceito de privação de sono. Não que nunca tivesse feito uma jornada contínua, fosse por trabalho ou lazer. Mas nunca com este impacto. E ainda que sinta que não necessite de muitas horas de sono, o certo é que ter uma boa noite de sono é a solução para muitos problemas. Assim como o contrário também é verdade para que se sinta pior. Quem nunca ouviu de manhã alguém perguntar - Dormiste com os pés de fora da cama? E se não sabe o que significa, acredite que não é uma coisa boa.


Ter um sono de boa qualidade pode ajudá-lo a se sentir no seu melhor. Dormir de forma saudável é parte fundamental de um bom padrão de sono. Os padrões de sono saudáveis melhoram o aprendizagem, a memória, a criatividade e o humor. E de uma forma geral recomenda-se que os adultos durmam entre 7 e 9 horas todas as noites e que os idosos com mais de 65 anos durmam entre 7 e 8 horas.


No Espectro do Autismo, para além das carcaterísticas comportamentais nucleares desta condição, assim como das outras condições psiquiátricas que co-ocorrem com determinada frequência. Os problemas de sono afectam entre 40-80% das crianças autistas. E que no caso de não terem uma intervenção eficaz, estes sintomas tendem a persistem ao longo da adolescência. Sendo que Isso é prejudicial ao desenvolvimento da criança em muitas áreas da vida e aumenta os níveis de stress experimentado pelos pais e irmãos.


Os pais com crianças autistas relatam com maior probabilidade destas sofrerem resistência à hora de dormir, despertares noturnos e parassonias, enquanto os adolescentes são mais

propensos a ter atraso no início do sono, hora total de sono total reduzido e sonolência diurna.


O sono insuficiente tem sido associado a uma série de actividades físicas e preocupações com a saúde mental, incluindo impactos negativos sobre o funcionamento familiar, aumento da gravidade da sintomatologia do autismo, funcionamento cognitivo e desempenho académico prejudicados, e aumento de problemas de comportamento.


Não é que no autismo existam áreas mais fundamentais do que outras. Certamente, todas elas serão importantes de se poderem intervir. Uma criança autista que apresenta dificuldades na aprendizagem será certamente fundamental intervir. E o mesmo se aplica em relação à desregulação do comportamento, etc. Mas que não haja dúvida de que o sono é uma área primordial de intervir. Até porque o impacto na vida da pessoa é grande. E a sua melhoria representa um ganho significativo para o bem estar da pessoa. Não tem a certeza? Pergunte à Dra. Mafalda Leitão que ela ajuda a compreender.


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page