Informação útil:

©2018 by Autismo no Adulto. Proudly created with Wix.com

A Insustentável leveza de ser mulher

É inquestionável a razão de um dia para celebrar a mulher. A mulher é cidadã, estudante, profissional, mãe, educadora, etc. A mulher é tudo. Ela encerra em si a poesia de ser.

No dia 8 de março de 2019 realiza-se o Seminário - Perturbações do Desenvolvimento no Feminino...

O PIN Progresso Infantil celebra o dia 8 de março de 2019 - dia internacional da mulher com olhos postos no horizonte com o Seminário Perturbações do Desenvolvimento no Feminino. Seremos mais a celebrar e de diferentes formas a mulher e a expressão do seu ser. Não seremos a única instituição a destacar a mulher e mais especificamente na área da saúde mental. Mas enquanto instituição de excelência na área das Perturbações do Neurodesenvolvimento o PIN demarca-se para falar de vários aspectos vitais.


Por exemplo, no caso das Perturbações do Espectro do Autismo (PEA) continua a ser evidente a dificuldade num grande número de vezes em conseguir identificar as características do espectro no feminino. Alguns justificam essa razão como normal atendendo às diferenças encontradas nos vários estudos científicos que determinam a existência de 4 rapazes por cada 1 rapariga com esse diagnóstico. Mas já são vários os estudos, também científicos, que mostram as falácias cometidas e a inclusão de maior número de rapazes nos estudos que ajudam a determinar as características de diagnóstico.


A experiência clínica de alguns associado aos movimentos de adultos autistas e mais especificamente mulheres têm ajudado a melhor compreender a expressão das PEA no feminino. Este aspecto é fundamental para as PEA mas igualmente para as Perturbações do Desenvolvimento. Esta questão apresenta iguais semelhanças na Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção.


É fundamental ter uma compreensão mais abrangente acerca da própria conceptualização das Perturbações do Desenvolvimento e não apenas encerradas nas características de diagnóstico. E este olhar enviesado para a mulher porque se continua a verificar a existência de maiores níveis de perturbação mental no sexo feminino. E mesmo apesar de se verificar na mulher uma maior predisposição para a procura de ajuda especializada. Também continuamos a verificar nas mulheres maiores níveis de sofrimento psicológico.


No caso das Perturbações do Desenvolvimento, a questão do conhecimento da expressão comportamental no feminino é fundamental para a sua identificação e diagnóstico. Como tal, se não houver um diagnóstico a possibilidade de uma intervenção adequada é menor. A proliferação de outros diagnósticos psiquiátricos associados por ausência de uma resposta terapêutica eficaz é maior. Passamos a ter mulheres que acumulam uma Perturbação do Desenvolvimento com uma Perturbação de Ansiedade, Humor, Obsessivo-Compulsiva, da Personalidade, etc.


A dimensão do problema acresce se pensarmos nas consequências derivadas deste sofrimento psicológico. A mulher é cidadã, estudante, profissional, mãe, educadora, etc. A mulher é tudo. Como tal, a mulher dentro das Perturbações do Desenvolvimento e que não está diagnosticada e devidamente acompanhada vai acabar por ter maiores dificuldades em realizar o seu percurso escolar e formativo. Mas também terá maior dificuldade em integrar o mercado de trabalho ou constituir família e até mesmo ter relações afectivas significativas, etc. Mas cabe a todos nós a mudança deste horizonte. Contamos consigo no dia 8 de março.

12 visualizações